Armazenamento

por Memória Sindical. 04 dez 2014 . 12:25


Os materiais devem ser guardados e identificados segundo sua data, seu tipo, formato e temática.

É importante que estejam organizados em ordem cronológica.

A temática ou procedência criará um fundo, que identificará uma coleção. Mesmo que, para efeito de organização, nem todos os materiais com mesmo tema sejam guardados juntos, eles devem ser codificados de modo a manter a coleção.

Dito isso, os jornais devem ser guadados com jornais, boletins de formato x, com seus semelhantes, boletins de formato y idem, fotos com fotos etc.

A catalogação deve seguir a norma técnica arquivística, ou adotar seu critério próprio, baseado nestas normas, que facilite a consulta.

Todo o acervo central e suas “filiais” devem ter um padrão de classificação comum, com vistas a criar um banco de dados unificado.

Quantas cópias guardar?

Se possível, três cópias de cada documento.

Local do arquivo

O local do arquivo deve ser reservado, e com circulação restrita. Também não deve ficar exposto à luz solar, à umidade, ao frio, ao calor, e à variação de temperatura.

O material não pode interagir quimicamente nem com o suporte, nem com o local de guarda.

O local deve ser fresco e arejado, com uma temperatura constante de cerca de 18 graus Celsius.

Recomenda-se o uso de ar condicionado no local do arquivo. E, uma vez instalado o ar condicionado deve ser ajustado de modo a ficar ligado permanentemente.

Mudanças constantes de temperatura são extremamente prejudiciais ao material.

Tipos de material

Cada tipo de material requer um armazenamento específico, de modo que tenha menos rasura e maior integridade.

Estantes de metal são ideais para a construção de um arquivo. Estantes deslizantes são interessantes para quem necessita otimizar seu espaço, embora seu custo seja alto.

Boletins: coloque em pasta envelope plástico neutro, que podem ser guardadas diretamente na estante ou em caixa arquivo morto.

Camisetas: em nosso acervo temos diversas camisetas de campanhas históricas. Não é um material típico de acervo, mas as guardamos como interessantes curiosidades, afinal, as vestimentas também mudaram ao longo dos anos. E como elas podem ser guardadas de modo a não criarem mofo?  Da mesma forma como se guarda roupas usuais: limpas, dobradas e um ambiente arejado.

Aconselha-se usar um antimofo, que pode ser desses simples vendidos em mercados, para controlar a umidade.

Cartazes: abertos em pastas ou em gavetas. Muitas vezes é difícil encontrar pastas do tamanho do cartaz, mas há possibilidade de comprar pastas sob medida, ou mesmo de comprar o material para produzir a pasta. De qualquer forma não se deve dobrar o cartaz, nem ao menos deixa-lo exposto ao meio. 

CDs: em sua respectiva caixa sem excesso de peso se for empilhado

Fitas cassete: dentro de arquivo fechado com gavetas,  organizado por assunto/data.

Fita VHS: de preferência na posição vertical.

Fotos: ver “Pequeno roteiro para conservação de fotos”.

Jornais: devem ser encadernados ou guardados em pastas com seus respectivos tamanhos para aplaná-los.

Livros: na posição vertical, com suporte para livros.

Mapas: na posição horizontal (planificado).

Revistas: arquive aquelas do qual o tempo corresponde com o acervo/use estante aberta.

Vinil/LP na posição vertical.

Comentários



ÚLTIMAS DE

Dicas de Organização de Arquivos

Depoimento de Newton Candido

Histórias de Vida

Newton Candido foi diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Caetano e assessor do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo. Realizado em 15/04/1989 por...

VER MATÉRIA

Transcrição da entrevista com Joaquim dos Santos Andrade no Roda Viva

Histórias de Vida

Entrevista com Joaquim dos Santos Andrade no Programa Roda Viva, TV Cultura, 06/07/1987

VER MATÉRIA

Depoimento de Melquíades Araújo

Artigos e Entrevistas

  Melquíades Araújo é Presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação no Estado de São Paulo – Fetiasp, e 1º vice-presidente da Força...

VER MATÉRIA

Entrevista com Luiz Antônio de Medeiros

Artigos e Entrevistas

Luiz Antônio de Medeiros é metalúrgico, fundador e presidente da Força Sindical de 1991 até 1999. Foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo....

VER MATÉRIA

Entrevista com Nilton Souza da Silva (Neco)

Artigos e Entrevistas

Nilton Souza da Silva (Neco) Comerciário, presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre, (Sindec), secretário de Relações Internacionais da Força Sindical e...

VER MATÉRIA

Música e Trabalho

PLAYLIST SPOTIFY MEMÓRIA SINDICAL