Dicas básicas para organização e armazenamento de documentos

por jawsdigital. 14 ago 2016 . 12:46

A importância do arquivo sindical

Um dos principais desafios do Centro de Memória Sindical é incentivar os sindicatos e os sindicalistas brasileiros a organizarem seus arquivos e trabalharem no resgate de suas histórias.

Isso porque acreditamos que resgatar e preservar a história do sindicalismo ajuda na elaboração de ações e reforça a identidade dos trabalhadores como um grupo organizado atuante na sociedade. Um grupo que é capaz, com a sua força, de mudar os rumos da história.

Ter um material organizado e preservado é importante, tanto pelo aspecto jurídico, uma vez que os registros podem ser documentos legais, quanto pelo aspecto histórico.

Do ponto de vista histórico, o arquivo sindical é fundamental para legitimar a importância e a influência das organizações dos trabalhadores na sociedade.

Os registros históricos tem valor informativo e documental único, que podem ser usados para interpretar as ações sindicais, compreender o processamento das ações sociais, aprimorando suas projeções.

Nós do Centro de Memória, além de manter nosso centro de pesquisa, também prestamos serviço para entidades coordenando a criação de arquivos históricos. Mas, muitas vezes os sindicalistas podem adotar procedimentos simples para criar, no espaço de que dispõe, sua pequena estrutura arquivística e preservar registros da história dos trabalhadores.

Neste sentido, com o intuito de contribuir para a preservação de registros e documentos históricos nacionais, e em especial sindicais, o Centro passa a divulgar dicas simples para organização e manutenção de arquivos.

O que é material histórico?

Todo o material produzido pela organização sindical, que registra suas ações e pode ter uma função explicativa no futuro, pode vir a ser material histórico. Contudo o caráter histórico só se dá após deixar sua fase de uso corrente, ou seja, após sua utilização principal para qual foi criado deixar de ser necessária.

Como um consenso genérico os documentos são distinguidos como: de uso corrente, arquivos intermediários, (aqueles que possuem mais antigos de 30 anos de sua criação), arquivos permanentes.

Exemplos: cartazes de campanhas, fotos de greves e manifestações, depoimentos, jornais etc.


Carolina Ruy, coordenadora de Projetos do Centro de Memória Sindical

Fátima Fernandes, Assistente administrativo do Centro de Memória Sindical

Leandro Nunes dos Santos, arquivista do Centro de Memória Sindical

Comentários



ÚLTIMAS DE

Dicas de Organização de Arquivos

Depoimento de Melquíades Araújo

Artigos e Entrevistas

  Melquíades Araújo é Presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação no Estado de São Paulo – Fetiasp, e 1º vice-presidente da Força...

VER MATÉRIA

Entrevista com Luiz Antônio de Medeiros

Artigos e Entrevistas

Luiz Antônio de Medeiros é metalúrgico, fundador e presidente da Força Sindical de 1991 até 1999. Foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo....

VER MATÉRIA

Entrevista com Nilton Souza da Silva (Neco)

Artigos e Entrevistas

Nilton Souza da Silva (Neco) Comerciário, presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre, (Sindec), secretário de Relações Internacionais da Força Sindical e...

VER MATÉRIA

A verdade sobre Manoel Fiel Filho

Artigos e Entrevistas

Manoel Fiel Filho No dia 24 de junho de 2015, o Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo denunciou à Justiça Federal sete ex-agentes da...

VER MATÉRIA

Música e Trabalho

PLAYLIST SPOTIFY MEMÓRIA SINDICAL