Equipamentos básicos para higienização e organização

por Memória Sindical. 04 dez 2014 . 12:20


Cada tipo de material requer produtos específicos para sua higienização. Mas determinados Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s) podem ser de grande ajuda para a limpeza em geral de acervos históricos.

Bisturi – para retirada de pontos de ferrugem, sujeira e vestígios que não saem com a trincha. Deve ser utilizado com extremo cuidado para não provocar danos no papel e/ou perda da informação impressa.

Caneta Medidora – para medir a acidez e a alcalinidade do papel. A solução vermelha de Clorofernol contida na caneta quando em contato com papel livre de acidez apresenta a cor púpura/lilás, quando em contato com papel ácido apresenta a cor amarela.

Cola de Metil celulose – substância neutra, em pó, solúvel em água, totalmente transparente, não amarela. Utilizada não apenas colar como, também, descolar. Por sua característica sintética, possui a vantagem de não atrair fungos e insetos, os quais destroem o papel, outra característica é não produz manchas. Pode ser encontradas em farmácias de manipulação, lojas de materiais ou de artigos de festa e em lojas de produtos para confeitaria.

Estilete – indicado para serviços leves.

Filme Poliéster Cristal – película constituída 100% de poliéster, dura e clara, que combina durabilidade, estabilidade dimensional, propriedades elétricas, térmicas e de barreira. Tem grande transparência e é completamente neutro em seu PH. Não é afetado por óleos ou graxas e mantem sua claridade, flexibilidade e dureza até 150 °C. Não contém plastificantes que possam migrar para as obras de arte ou documentos.

Flanelas – para limpar fisicamente o material, delicadamente.

Jaleco branco – para se proteger contra fungos e bactérias.

Lupa – para identificar pequenos defeitos.

Luva de látex – para manusear o material sem agredi-lo e sem entrar em contato com possíveis fungos.
Máscara cirúrgica – para não inalar fungos e bactérias.

Papel Mata-borrão –papel muito absorvente utilizado, na restauração, para absorver o excesso de substâncias líquidas no processo de restauração.

Papel neutro – para armazenar fotos e materiais que não podem reagir com o meio.

Plástico neutro – para armazenar fotos e materiais que não podem reagir com o meio.

Pó de Borracha – feito com borracha plástica branca (TK-Plast ou Faber Castell) ralada em ralador de cozinha comum (ralo fino), ou comprada em casas de produtos de restauração. Comumente utilizada para a limpeza do material sem que se perca a informação nele existente.

Trincha – para passar suavemente da parte inferior para a superior da folha (para que não caia sujeira ou insetos em cima de quem esta restaurando o documento), sempre assegurando que o documento não saia do lugar firmando-o com uma das mãos para evitar rasgos ou outro acidente. A trincha deve ser passada inicialmente na junção das folhas (centro) e depois nas páginas, com movimentos de baixo para cima suavemente.

Obs: existem técnicas especificas para tratamento de fungos em documentos.

Pequenos reparos e reconstituição de suportes

Durante o processo de higienização, normalmente o arquivista se depara com documentos danificados, devido à ação do tempo ao mau uso do material. Neste caso, é necessário tomar algumas providências.

Retirar clipes metálicos, que oxidam e mancham o papel. Se houver necessidade clipes revestidos por plástico são mais indicados, mas o melhor é que o documento fique livre de marcas.

As partes dos documentos que contenham oxidação devem ser retiradas com cuidado para extrair o mínimo possível de informação do documento e não comprometer futuras pesquisas.

Comentários



ÚLTIMAS DE

Dicas de Organização de Arquivos

Depoimento de Newton Candido

Histórias de Vida

Newton Candido foi diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Caetano e assessor do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo. Realizado em 15/04/1989 por...

VER MATÉRIA

Transcrição da entrevista com Joaquim dos Santos Andrade no Roda Viva

Histórias de Vida

Entrevista com Joaquim dos Santos Andrade no Programa Roda Viva, TV Cultura, 06/07/1987

VER MATÉRIA

Depoimento de Melquíades Araújo

Artigos e Entrevistas

  Melquíades Araújo é Presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação no Estado de São Paulo – Fetiasp, e 1º vice-presidente da Força...

VER MATÉRIA

Entrevista com Luiz Antônio de Medeiros

Artigos e Entrevistas

Luiz Antônio de Medeiros é metalúrgico, fundador e presidente da Força Sindical de 1991 até 1999. Foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo....

VER MATÉRIA

Entrevista com Nilton Souza da Silva (Neco)

Artigos e Entrevistas

Nilton Souza da Silva (Neco) Comerciário, presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre, (Sindec), secretário de Relações Internacionais da Força Sindical e...

VER MATÉRIA

Música e Trabalho

PLAYLIST SPOTIFY MEMÓRIA SINDICAL