Barão Vermelho canta: Declare Guerra

17 set 2021 . 20:20

Década perdida é como apelidamos a década de 1980. O fortalecimento do neoliberalismo levou ao acirramento do desemprego, insegurança financeira, precarização das relações de trabalho, desarticulação entre os trabalhadores, a um aumento da terceirização e diminuição da proteção do Estado.

Por Carolina Maria Ruy

 

Aquele contexto de abandono foi matéria prima para a cultura de contestação que denunciava o individualismo e o empobrecimento da sociedade. Fazia muito sentido para os jovens e adultos aquela raiva toda nos versos de Declare Guerra, escrita em 1986. Além da crise social e econômica a música denunciava discursos políticos hipócritas que emergiam mirando a volta de eleições diretas depois de mais de 20 anos de ditadura. Por isso ela é um manifesto de alerta os cidadãos “declare guerra a quem finge te amar”.

Uma esquerda abalada pelo fim da guerra fria e uma igreja católica comandada por um padre anticomunista, que trabalhou para desarticular setores progressistas, garantiam a desesperança política daquele momento. Até o Papa te esquece, só o inferno te aceita, ele diz.

Assim foram aqueles fatídicos anos de 1980. Mas Declare Guerra serve também para os dias de hoje. O Papa mudou, a sociedade chegou a evoluir. Mas desde 2016 vivemos um tsumani de retrocessos e hoje atingimos uma crise que faz os anos 80 parecerem anos dourados.

São quase 15 milhões de desempregados, inflação alta, carestia, aumento da fome, da miséria e crescimento da violência, escalada autoritária e, ainda por cima, uma peste que só víamos em livros de história, administrada por um governante insano e irresponsável. O normal caiu por terra e aquela parte que soava como certo exagero “Nem parece o mesmo, Tá ficando pirado, Onde você encosta dá curto, Você passa, o mundo desaba” tornou-se a realidade de milhões de brasileiros. A vida anda ruim na aldeia.

Declare Guerra

(Composição: Renato Russo/1986)

Intérprete: Barão Vermelho

 

Vivendo em tempo fechado
Correndo atrás de abrigo
Exposto a tanto ataque
Você ta perdido

Nem parece o mesmo
Tá ficando pirado
Onde você encosta dá curto
Você passa, o mundo desaba

E pra te danar
Nada mais dá certo
E pra te arrasar
Os falsos amigos chegam
E pra piorar
Quem te governa não presta

Declare guerra aos que fingem te amar
A vida anda ruim na aldeia
Chega de passar a mão na cabeça
De quem te sacaneia

Vivendo em tempo fechado
Correndo atrás de abrigo
Exposto a tanto ataque
Você ta perdido

E pra se ajudar
Você faz promessas
E pra piorar
Até o papa te esquece
E pra te arrasar
Só inferno te aceita

 

Gostou? Veja mais músicas aqui: http://migre.me/e3gpy

 

Comentários



ÚLTIMAS DE

Música e Trabalho

Visão geral do acervo

Arquivo

Centro de Memória Sindical – Arranjo do Acervo

VER MATÉRIA

Arquivo – Sindicatos

Arquivo

Catálogo de coleções de sindicatos, acondicionadas em caixas contendo documentos em papel de variadas tipologias. Documentos de datas esparsas entre as décadas de 1930 e...

VER MATÉRIA

Fotos históricas

Documentos Históricos

  As fotos estão em ordem cronológica Remo Forli e Conrado Del Papa, no lançamento da pedra fundamental da sub-sede de Osasco do Sindicato dos Metalúrgicos...

VER MATÉRIA

Jornais

Arquivoc

Catálogo de coleções de jornais. Jornais de datas esparsas entre as décadas de 1920 e 2010. Acondicionamento em pastas.

VER MATÉRIA

Música e Trabalho

PLAYLIST SPOTIFY MEMÓRIA SINDICAL

Show Buttons
Hide Buttons