O que você Faria? El Método

por Memória Sindical. 03 maio 2012 . 11:19

2005, Argentina /Espanha /Itália Marcelo Piñeyro Com Natalia Verbeke, Eduardo Noriega.

FONTE: Carolina Maria Ruy

oque-1

Existem muitos filmes interessantes que são elaborados a partir de diversas óticas, para além do nosso mote central que é o trabalho. Este caráter amplo e diversificado é próprio das artes. São expressões poéticas e simbólicas da realidade. Comumente estas idéias subjacentes à arte passam mensagens e padrões. Esta estratégia de disseminar ideologias é amplamente difundida na nossa sociedade, através, não apenas da cultura (em seu caráter mais abrangente, incluindo aí programas de entretenimento, novelas etc), mas também com o uso da poderosa máquina da propaganda.

Se a idéia que sustenta o presente debate acerca do “cinema e o mundo do trabalho”, fosse classificar os filmes que tem a vida trabalhista como mote, seria estranho incluir filmes como: Foi apenas um sonho, Moça com brinco de pérolas, 2001: Uma Odisséia no Espaço e até mesmo Jean Charles. Mas a intenção aqui é pensar em como o trabalhador se encaixa nesta sociedade. Como que o trabalhador, mola propulsora do sistema sócio-econômico dominante, é retratado nos mais diversos aspectos que a arte? O cinema, de modo geral, pode incitar uma reflexão do trabalhador sobre si mesmo, como categoria, como classe e como fenômeno social.

Assim, tal debate propõe a desconstrução do estereótipo de “classe social” como uma concepção superada. Ele chama a atenção para as novas formas com que a classe trabalhadora se apresenta na sociedade moderna.

Se a idéia fosse a de simples classificação, seria óbvio falar do filme O que você faria (ou El Método). É fácil imaginá-lo material didático em faculdades que formam empresários, ou em dinâmica de grupo que selecionam empresários.

O filme apresenta o universo (asséptico e fechado) empresarial. Então, ele estaria com passe livre para esta lista. Mas nossa intenção é refletir amplamente sobre a sociedade atual.

Penso que daqui a duas ou três gerações este filme será um bom objeto de análise sobre tendências do comportamento humano nos anos 2000 a 2010. E temos muitos outros objetos de análise que vão confirmar estas tendências.

Por exemplo: atualmente veicula na TV uma propaganda de carro em que uma bela jovem executiva, de trinta e poucos anos, aparentemente bem sucedida, pergunta a um homem, em condições semelhantes, onde ele imagina que vai estar dali a cinco anos. Ele, então, se imagina ao lado dela viajando neste luxuoso carro (o da propaganda) e rebate a pergunta. A moça imagina a mesma situação, mas, desta vez, o rapaz aparece como motorista e não como seu namorado.

O padrão de felicidade e sucesso retratado é o dos jovens, brancos e ricos, que chegaram ao topo da direção de uma empresa. O fato de eles imaginarem o carro em questão dentro de um sonho para um próspero futuro deixa implícita a idéia de que ele deve ser absurdamente caro. Ou seja, a intenção é a de apresentar um carro que só uma pequena elite possa ter. Esta historinha defende que existem aqueles que são privilegiados na sociedade e que isso é natural e é bom.

Esta propaganda me veio à cabeça depois de assistir El Método. Ele é tão cínico quanto. Ele enaltece o mais extremo e cruel individualismo e a forma mais nefasta de ambição. Ele coloca a condição sine qua non de ser frio e calculista para se alcançar o sucesso no ramo empresarial. Claro que, diferente do comercial do carro, o filme faz uma abordagem crítica.

Tudo se passa em Madri. Praticamente todo o filme acontece na sala da multinacional espanhola onde os sete candidatos disputam uma vaga de executivo. Concomitantemente marchas de protestos contra a globalização e a política monetária do FMI passam pela rua do prédio onde ocorre a seleção. É um sutil contraponto ao foco do filme. A manifestação contra a política monetária é o outro lado do processo de seleção em uma multinacional, processo do qual o sistema se alimenta.

Um pretenso método denominado Grönhom é aplicado para seleção. Trata-se de uma forma de analisar as reações dos candidatos em níveis altos de tensão. O grupo é deixado a sós em uma sala, sendo promovidos vários testes via computador que têm por objetivo analisar a interação entre eles. Nos jogos os próprios candidatos se eliminam.

Tal como a propaganda citada, aqui impera a dissimulação. E ela é tão eficaz que chega a criar graça e simpatia mesmo em um esquema de pura discriminação e injustiça social. Afinal, não é novidade que as regras do mercado de trabalho fez com que as pessoas aprendessem a encenar atitudes e situações para garantirem seu lugar.

A primeira prova é a tentativa de descoberta de representante da empresa entre eles. A segunda, a escolha de um líder por unanimidade. A terceira, um voto de confiança no líder escolhido ou a sua eliminação. Na quarta, supõe-se que houve uma guerra nuclear e só há lugar para 5 no bunker, ou seja, um tem que ser eliminado. Numa outra prova, uma disputa entre a Inglaterra, a França e a Espanha. Na prova final, um concorrente deve usar de todos os artifícios possíveis para convencer o outro a desistir.

O filme inteiro se passa na sala onde os personagens são testados e observados. Nos raros momentos em que se muda de local, continuamos dentro dos muros da empresa. É como se lá dentro fechados, eles estivessem quase numa realidade paralela, num outro mundo.

Este filme é baseado na peça de teatro El Método Grönholm. De fato, os recursos simples, o roteiro dinâmico e criativo e a valorização dos diálogos e da interação entre os personagens dão um ar teatral ao filme.

Comentários



ÚLTIMAS DE

Dicas de Filmes

Depoimento de Newton Candido

Histórias de Vida

Newton Candido foi diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Caetano e assessor do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo. Realizado em 15/04/1989 por...

VER MATÉRIA

Transcrição da entrevista com Joaquim dos Santos Andrade no Roda Viva

Histórias de Vida

VER MATÉRIA

Sindicato dos Professores de São Paulo promove debate e exposição sobre a Revolução Russa

Cultura

Acontecimento de importância decisiva no mundo contemporâneo, a Revolução Russa construiu e destruiu utopias e mudou as referências políticas e ideológicas da nossa era. Sua...

VER MATÉRIA

Vote pra valer! Não desperdice o seu direito conquistado

Apostilas de Formação

A descrença com a política é compreensível frente à flagrantes de corrupção, de mau uso do patrimônio público e da precária oferta de serviços e...

VER MATÉRIA

Visão geral do acervo

Arquivo

Centro de Memória Sindical – Arranjo do Acervo

VER MATÉRIA

Música e Trabalho

PLAYLIST SPOTIFY MEMÓRIA SINDICAL