V de Vingança

por Memória Sindical. 11 out 2013 . 16:08

 

vde

V de Vingança (V de Vendetta)

EUA, 2006
James McTeigue
Com Natalie Portman, Hugo Weaving, Stephen Rea
Roteiro: Andy Wachowski, Lana Wachowski
HQ original: Alan Moore & David Lloyd

Por Alexandre de Melo

Era para ser apenas uma adaptação de uma história em quadrinhos para o cinema. Porém, V de Vingança tornou-se um símbolo de resistência popular no mundo todo. As ideias presentes na obra se espalharam em cada jovem que vai às ruas protestar usando a máscara com o sorriso irônico de Guy Fawkes. Hoje, V de Vingança é um símbolo pop mesmo falando sobre assuntos complexos como apologia ao terrorismo, homofobia, mobilização contra governos totalitários, anarquismo e fascismo.

Por partes.

Allan Moore, o bruxo doidão dos quadrinhos, juntou seu texto às ilustrações de David Lloyd e, entre os anos de 1988 e 1989, publicou em versão colorida a Graphic Novel V de Vingança.

A história original da HQ se passa no ano de 1997 em uma realidade alternativa. Após uma hecatombe nuclear, a Inglaterra vive sob domínio de um governo ditatorial fascista. O Estado controla a mídia e a liberdade do povo por meio de polícia secreta e campos de concentração destinados às minorias raciais e sexuais. Os departamentos do governo recebem nomes como boca, olhos, ouvidos, nariz e dedos.

Este cenário é uma forte alusão às obras de Aldous Huxley, autor de Admirável Mundo Novo e a George Orwell que escreveu o livro 1984. Na HQ, o personagem Adam Susan é o líder do partido Nosfire. A semelhança com Hitler e o partido nazista não é mera coincidência.

Vale lembrar que os quadrinhos foram feitos no período que o governo da dama de ferro, Margaret Thatcher, dava os primeiros passos do neoliberalismo no Reino Unido e o socialismo estava em declínio na União Soviética.

A história começa quando os agentes do dedo (polícia secreta) tentam violentar a jovem Evey que levava a vida se prostituindo. Ela é salva por um misterioso homem usando uma mascara. Ele se identifica com o nome V ou codinome V.

vde-2

Em tempo: a máscara do personagem V é inspirada no rosto de Guy Fawkes oposicionista do partido católico britânico que comandou um malsucedido ataque em cinco de novembro de 1605. O objetivo do atentado era explodir o parlamento inglês e foi conhecido por Conspiração da Pólvora. Fawkes foi condenado à morte.

Voltado para a Graphic Novel. V é um anarquista. Ele pretende se vingar de atrocidades que sofreu por parte do governo e articula ataques terroristas. Evey se torna aliada e aluna de V.

O filme V de Vingança (V For Vendetta, 2005), foi dirigido por James McTeigue com roteiro e produção dos Irmãos Wachowski (criadores de Matrix). A adaptação para o cinema possui algumas diferenças. O filme mostra o personagem V (Hugo Weaving, o Sr. Smith de Matrix, aparece sempre de máscara) com habilidades quase de um super herói e com uma relação mais próxima de amante com Evey (em bela interpretação de Natalie Portman). Allan Moore, pai da história, não gostou.

No longa, uma multidão sai ás ruas usando a máscara de Guy Fawkes no dia 5 de novembro, após o discurso de mobilização de V na televisão. Durante o filme conhecemos um pouco da origem do misterioso V e suas motivações para o terrorismo.

Duas frases são o mote do filme: “O povo não deve temer seu governo. O governo é quem deve temer seu povo!” e “Atrás dessa máscara, há uma ideia. E ideias são à prova de bala”. Da primavera árabe às mobilizações no Brasil contra o aumento das tarifas de ônibus estas frases são repetidas de diversas formas.

A máscara de Guy Fawkes se tornou também o símbolo dos ativistas hackers conhecido como Anonymous. É difícil definir uma linha ideológica do Anonymous justamente porque diferentes grupos se apropriam do conceito.

A trilha sonora é versatil: músicas feitas especialmente para o filme por Dario Marianelli , além de “1812 Overture”, de Tchaikovsky e canções associadas a protestos como “BKAB”, de Ethan Stoller, em que foram adicionadas partes de discursos de Malcolm X e da feminista Gloria Steinem, e “Street Fighting Man”, dos Rolling Stones. Ouça a trilha aqui.

Quadrinhos, cinema, trilha sonora cativante, além da reflexão política são os ingredientes para fixar no imaginário popular os dizeres da Cospiração da Polvora: “Lembrai, lembrai-vos do cinco de novembro”. Parece que a cada protesto pelo mundo é difícil não lembrar as diversas referências do filme.


Alexandre de Melo é jornalista e gestor de mídias sociais da Força Sindical.

 

Comentários



ÚLTIMAS DE

Dicas de Filmes

Depoimento de Newton Candido

Histórias de Vida

Newton Candido foi diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Caetano e assessor do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo. Realizado em 15/04/1989 por...

VER MATÉRIA

Transcrição da entrevista com Joaquim dos Santos Andrade no Roda Viva

Histórias de Vida

VER MATÉRIA

Sindicato dos Professores de São Paulo promove debate e exposição sobre a Revolução Russa

Cultura

Acontecimento de importância decisiva no mundo contemporâneo, a Revolução Russa construiu e destruiu utopias e mudou as referências políticas e ideológicas da nossa era. Sua...

VER MATÉRIA

Vote pra valer! Não desperdice o seu direito conquistado

Apostilas de Formação

A descrença com a política é compreensível frente à flagrantes de corrupção, de mau uso do patrimônio público e da precária oferta de serviços e...

VER MATÉRIA

Visão geral do acervo

Arquivo

Centro de Memória Sindical – Arranjo do Acervo

VER MATÉRIA

Música e Trabalho

PLAYLIST SPOTIFY MEMÓRIA SINDICAL