Centro de Memória Sindical: patrimônio histórico dos trabalhadores

por Memória Sindical. 04 set 2018 . 19:11

É sintomático o fato de que três dias antes do incêndio que destruiu o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, a instituição cientifica mais antiga do país, com uma perda inestimável para a identidade, dignidade e integridade do povo brasileiro, importantes líderes do movimento sindical tenham se reunido para celebrar lançamento de uma revista que resgata lutas dos trabalhadores ocorridas há 50 anos.

Esta revista, 1968 e os trabalhadores, é resultado do trabalho do Centro de Memória Sindical, instituição que existe graças à preocupação dos sindicatos em mantê-la viva e ativa. O Centro, que foi criado em 1980, quase se perdeu em uma situação de descaso e abandono na década de 1990, sendo mantido com recursos no limite da subsistência. Desde 2010, entretanto, sindicatos vem investindo em sua revitalização.

Hoje, embora tenhamos uma equipe enxuta, o arquivo do Centro de Memória Sindical encontra-se organizado, seguro, eficiente e funcional.  Quero ressaltar com isso que, na contramão do descaso do poder público, o movimento sindical (que os mesmos políticos responsáveis pelo desmonte do nosso patrimônio histórico e da nossa educação querem destruir), valoriza a memória dos trabalhadores investindo na manutenção do acervo e na produção de peças, como a revista, que registram e divulgam esta história.

Podemos ser maiores? Sim podemos. Mas, não fosse a consciência dos sindicalistas que sustentam o Centro, todo o acervo já estaria comido pelas traças ou  correndo riscos maiores, e expondo seu entorno, como o incêndio que tragicamente destruiu o Museu Nacional dia 2 de setembro de 2018.

A despeito da crise que assola o movimento sindical e a despeito do descaso do poder publico com a história, os trabalhadores, organizados em sindicatos, tem ano a ano, afirmado e celebrado sua memória, destinando à esta memória parte de suas receitas.

Pelo terceiro ano consecutivo lançamos uma publicação histórica com uma grande tiragem distribuída para diversos sindicatos. Em 2016 relançamos o livro sobre os 130 anos do Dia do Trabalhador, de José Luiz Del Roio, em 2017, uma revista sobre os 100 anos da greve de 1917, que foi a primeira greve geral brasileira e, na última quinta-feira, dia 30, lançamos a revista sobre os 50 anos dos eventos de 1968, contemplando a greve dos metalúrgicos de Contagem, a greve dos Metalúrgicos de Osasco, a passeata dos 100 mil, a batalha da Rua Maria Antônia, entre outros.

Estas publicações levam aos trabalhadores um debate sobre as lutas sociais que estão na raiz das conquistas de diversos direitos, sem os quais a disparidade entre patrões e empregados seria ainda mais injusta e desproporcional.

Assim como o movimento sindical tem feito, o orçamento nacional também deve contemplar a preservação do nosso patrimônio histórico, cultural e antropológico. Valorizar a memória, a história de um país é fundamental para fortalecer o povo e o futuro da nação.

Obs: Agradecemos  filiação, no mês de setembro, de mais três entidades sindicais ao Centro de  Memória Sindical: Sindicato dos Comerciários de São Carlos, Sindicato dos Hoteleiros de São Paulo e região e do Sindicato dos Comerciários de Santo André e Região.

Carolina Maria Ruy 

Comentários



ÚLTIMAS DE

1968 Sindical

Depoimento de Newton Candido

Histórias de Vida

Newton Candido foi diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Caetano e assessor do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo. Realizado em 15/04/1989 por...

VER MATÉRIA

Transcrição da entrevista com Joaquim dos Santos Andrade no Roda Viva

Histórias de Vida

Entrevista com Joaquim dos Santos Andrade no Programa Roda Viva, TV Cultura, 06/07/1987

VER MATÉRIA

Sindicato dos Professores de São Paulo promove debate e exposição sobre a Revolução Russa

Cultura

Acontecimento de importância decisiva no mundo contemporâneo, a Revolução Russa construiu e destruiu utopias e mudou as referências políticas e ideológicas da nossa era. Sua...

VER MATÉRIA

Vote pra valer! Não desperdice o seu direito conquistado

Apostilas de Formação

A descrença com a política é compreensível frente à flagrantes de corrupção, de mau uso do patrimônio público e da precária oferta de serviços e...

VER MATÉRIA

Depoimento de Melquíades Araújo

Artigos e Entrevistas

  Melquíades Araújo é Presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação no Estado de São Paulo – Fetiasp, e 1º vice-presidente da Força...

VER MATÉRIA

Música e Trabalho

PLAYLIST SPOTIFY MEMÓRIA SINDICAL